Principais formatos de vídeo digital

São Paulo – Crescimentos do compartilhamento de vídeos e sofisticação de celulares contribuem para novos formatos de vídeo. Conheça os principais.
Você faz um vídeo com sua câmera digital e produz um vídeo num formato. O serviço online que você descobriu baixa vídeos do YouTube em outro. Seu celular multimídia filme aquela cena impagável em um terceiro. E, por fim, a transformação de um DVD em arquivo digital cria um quarto.
A variedade de formatos digitais de vídeo disponíveis atualmente foge à padronização. Para ajudar os usuários, o IDG Now! selecionou e explica quais são os principais.

FLV – Se esta seleção fosse feita há dois anos, o padrão FLV definitivamente não estaria na lista. A ascensão meteórica do formato tem relação próxima com a explosão do seu principal propulsor, o site de compartilhamento de vídeos YouTube. Desenvolvido pela Macromedia, o FLV é abreviação de Flash Vídeo, por usar a popular tecnologia da empresa comprada pela Adobe em abril de 2005, o que o torna altamente popular pela facilidade de rodar mesmo em micros limitados.
Como é oferecido em Flash, o FLV não prima pela qualidade (bastante prejudicada pela necessidade do arquivo ser leve), muito menos pelo gerenciamento de arquivos, difícil até mesmo com bons players.

MOV – O QuickTime foi apresentado pela Apple como uma alternativa à plataforma Windows Media, da Microsoft, apostando na variedade de formatos disponíveis para a distribuição de conteúdo. A polivalência do QuickTime aparece tanto no iTunes, que vende músicas e “ripa” CDs no formato AAC Áudio, como na popular reprodução de trailers no site da Apple, feita totalmente em MOV. O formato de vídeo ganhou ainda mais popularidade quando suas especificações foram escolhidas pelo consórcio Moving Picture Experts Group (MPEG) como a nova versão do popular codec MPEG, o MPEG-4.

MPEG – De tão popular que é, você já deve ter visto dezenas de filmes no formato sem atentar – mesmo que você não seja tão fã assim de vídeo online.  O motivo para a popularidade do MPEG é seu pioneirismo: com mais de dez anos de idade, o codec de vídeo foi o primeiro a ser amplamente usado para ser distribuído até mesmo na época em que internet e vídeo não combinavam muito. Conhecido pela sigla do grupo que define suas especificações (Moving Picture Experts Group), o codec é popular também longe da internet: é usado em DVD, sistemas de transmissão de TV digital em alta definição e TV a cabo. Além da qualidade de vídeo, o consórcio apostou na interatividade oferecida pela plataforma QuickTime ao alçá-la a especificação padrão do MPEG-4, além de ter ganho funções de interatividade e melhorias no streaming. Mesmo que seja usado como base para diversos outros formatos, o MPEG também pode ser utilizado para oferecer vídeos em padrão próprio na internet, principalmente em obras de curta duração.

AVI – O AVI é bastante popular entre usuários online, mesmo que alvo de críticas por supostos atrasos tecnológicos. Arquivos em redes P2P, por exemplo, estão, em sua grande maioria, no formato. Rival do QuickTime, o AVI (abreviação de Audio Video Interleave) foi apresentado pela Microsoft na primeira metade da década de 90 como uma alternativa viável de distribuição online de vídeo. A competição posterior com o MOV, da Apple, motivou críticas ao formato, principalmente pela falta de suporte a funções avançadas, como interatividade e maior compressão, que vinham no codec MPEG-4. Sua popularidade online resvala também no aproveitamento do codec DivX que oferece melhor qualidade de reprodução de vídeo com o mesmo tamanho de arquivos MOV, por exemplo.

3GP – Se não conta com um serviço como o YouTube para ser popularizado, o formato 3GP tem como propulsor milhões de gadgets espalhados pelas mãos dos usuários. Motorola, Nokia, BenQ, Samsung, Panasonic e LG estão entre as fabricantes que já equipam seus telefones celulares com o formato, muitas vezes com ferramentas que permitem a publicação online do vídeo. Definido como padrão de vídeo em celulares e smartphones com câmera, o 3GP experimenta uma lenta e crescente popularização enquanto a produção de conteúdo multimídia do usuário aumenta empurrado pela penetração de celulares. Com versões tanto para redes GSM (3GPP) como para CDMA (3GPP2) derivadas do codec (MPEG-4), o 3GP, evidentemente, não tem na qualidade seu formato, muito embora já permita vídeos com resoluções próximas à de fitas VHS.

Fonte: IDG NOW (http://idgnow.uol.com.br/internet/2007/04/…4-13.0813873032)

Anúncios

2 comentários em “Principais formatos de vídeo digital

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s