Margem de Contribuição e o Ponto de Equilíbrio

5 mar

“Ponto de equilíbrio é o valor ou a quantidade que a empresa precisa vender para cobrir o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis e as despesas fixas. No ponto de equilíbrio, a empresa não terá lucro nem prejuízo. “

“É o valor, ou percentual, que sobra das vendas, menos o custo direto variável e as despesas variáveis. A margem de contribuição representa o quanto a empresa tem para pagar as despesas fixas e gerar o lucro líquido.”

Margem de Contribuição é quantia em dinheiro que sobra do preço de venda de um produto, serviço ou mercadoria após retir o valor do custo variável unitário. Esta quantia é que irá garantir a cobertura do custo fixo e o lucro, após a empresa ter atingido o Ponto de equilíbrio, ou ponto crítico de vendas (Break-even-point).

A margem de contribuição é calculada da seguinte forma:

Margem de contribuição(MC) =

Preço de Venda(PV) – Custo da Mercadoria Vendida(CMV) – Despesas Variáveis(DV).

(MC= PV-CMV-DV)

Exemplo:

Uma loja de camisas que venda uma camisa por R$ 50,00 pode apresentar a seguinte situação:

- Preço de Venda = R$ 50,00 (100%)

(-) Custo da Mercadoria Vendida = R$ 30,00 (60%)

(- )Despesas Variáveis = R$ 5,00 (10%)

(=) Margem de Contribuição = R$ 15,00 (30%)

(50-30-5=15)

Sendo assim, a margem de contribuição na venda de cada camisa representa 30%, logo 30% do meu faturamento mensal deverá equivaler ao montante de minhas despesas fixas.

São entendidas como Despesas Fixas, por exemplo, os honorários, salários, encargos sociais e trabalhistas, aluguéis, impostos, contas de água, gás, luz, telefone e condomínio. Despesas fixas são aquelas que existem,independentemente da entidade ou empresa estar funcionando ou não. Assim, por exemplo, mesmo que o volume de produção de uma industria seja igual a zero, ainda assim haverá despesas ou custos com aluguel do prédio. Por outro lado determinadas despesas somente ocorrerão se houver nível de atividade, como por exemplo, uma comissão sobre vendas. Ela só existe se houver a venda, isto é, a atividade de venda. Sendo assim, é de suma importância, dentro de uma entidade ou empresa, a separação das despesas FIXAS e VARIÁVEIS.

Vejamos:

Sabendo que a minha loja de camisas possui uma despesa fixa (DF) de R$ 5.000,00 e que minha margem de contribuição (MC) é de 30% posso calcular o meu ponto de equilíbrio (PE) da seguinte maneira:

PE = DF/0,30 ou seja R$ 5.000,00 / 0,30 = R$ 16,6 mil

Isso quer dizer que para cobrir minhas despesas e trabalhar no meu ponto de equilíbrio, devo ter um faturamento mensal de R$ 16.666,666…. (vamos arredondar) R$ 16.667,00.Esse resultado me diz quanto eu tenho que faturar para poder, ao menos, pagar todas minhas despesas (sem lucro nenhum).

Para saber quantas camisas terei que vender para alcançar esse faturamento, basta dividir o valor do ponto de equilíbrio pelo preço unitário de venda:

R$ 16.667 / 50 = 334 unidades

Supondo que estabelecemos um lucro mensal de R$ 1.000,00 para novos investimentos, como poderemos alcançá-lo?

Simples: NOSSO LUCRO+DESPESAS FIXAS / MC

OBSERVAÇÕES NÃO MENOS IMPORTANTES / Calculando porcentagens

Para compreendermos o que é uma porcentagem temos que saber claramente o que é uma razão, as razões com denominador 100 (razões centesimais) podem ser expressas em forma de porcentagem:

Exemplo 1:
De um grupo de 100 jogadores, 30 praticam basquete. Isso significa que 30% (trinta por cento) dos jovens praticam basquete.

Exemplo 2:
Num lote de 50 lâmpadas, 13 apresentam defeito; a razão entre o número de lâmpadas defeituosas e o total de lâmpadas é dada por:

O que significa que, se o lote contivesse 100 lâmpadas, deveríamos encontrar 26 com defeitos.

Exemplo 3:
Outro modo de representar a taxa de  é obtido, simplesmente, efetuando a divisão de 4 por 100:
4 : 100 = 0,04

Da forma:
►37% = 0,37                   ►80% = 0,80 = 0,8
►14,5% = 0,145             ►100% = 1
►250% = 2,50 = 2,5       ►0,7% = 0,007

Exemplo 4:
Uma bolsa é vendida por R$ 32,00. Se seu preço aumentar em 20%, quanto passaria a custar?
Temos:

(1º) o aumento seria 20% de 32 = 0,2 x 32 = 6,40

(2º) o novo preço seria 32 + 6,40 = R$ 38,40.

Poderíamos fazer simplesmente:

Observe que o preço inicial fica multiplicado por 1,2.
Portanto, se tivéssemos:
♦ Um aumento de 30% multiplicaria o preço por 1,3;
♦ Um aumento de 16% multiplicaria o preço por 1,16;
♦ Um aumento de 5% multiplicaria o preço por 1,05;

Se por outro lado a bolsa fosse anunciada com um desconto de 20% sobre o preço original, a bolsa passaria a custar:

Observe que o preço fica multiplicado por 0,8.
Assim, se tivéssemos:
♦ Desconto de 30% multiplicaríamos o preço original por 0,7;
♦ Desconto de 16% multiplicaríamos o preço original por 0,84;
♦ Desconto de 5% multiplicaríamos o preço original por 0,95

Por Danielle de Miranda
Graduada em Matemática
Equipe Brasil Escola

* Fator Multiplicante

Há uma dica importante a ser seguida, no caso de cálculo com porcentagem. No caso se houver acréscimo no valor, é possível fazer  isto diretamente através de uma operação simples, multiplicando o valor do produto/serviço pelo fator de multiplicação.

Veja:

Tenho um produto X, e este terá um acréscimo de 30% sobre o preço normal, devido ao prazo de pagamento. Então basta multiplicar o valor do mesmo pelo número 1,30. Caso o mesmo produto ao invés de 30% tenha 20% de acréscimo então o fator multiplicante é 1,20.

Observe esta pequena tabela:

Exemplo: Aumente 17% sobre o valor de um produto de R$ 20,00, temos R$ 20,00 * 1,17 = R$ 23,40

E assim sucessivamente, é possível montar uma tabela conforme o caso.

Da mesma forma como é possível, ter um fator multiplicante quando se tem acréscimo a um certo valor, também no decréscimo ou desconto, pode-se ter este fator de multiplicação.

Neste caso, faz-se a seguinte operação: 1 – taxa de desconto (isto na forma decimal)

Veja:

Tenho um produto Y, e este terá um desconto de 30% sobre o preço normal. Então basta multiplicar o valor do mesmo pelo número 0,70. Caso o mesmo produto ao invés de 30% tenha 20% de desconto então o fator multiplicante é 0,80.

Observe esta pequena tabela:

Exemplo: Desconto de  7% sobre o valor de um produto de R$ 58,00, temos R$ 58,00 * 0,93 = R$ 53,94

E assim sucessivamente, é possível montar uma tabela conforme o caso.

Fontes:

Sebrae-SP – http://www.sebraesp.com.br

Wikipédia – http://pt.wikipedia.org

Equipe Brasil Escola

http://www.juliobattisti.com.br

About these ads

17 Respostas to “Margem de Contribuição e o Ponto de Equilíbrio”

  1. Bruna Suellen março 13, 2008 at 3:57 pm #

    oi, frank gostei da explicação. valeu! Se vc tiver algo + sobre isso me mande por e mail. um abraço.

    • Nilson de Paula dezembro 5, 2011 at 8:05 pm #

      Tenho uma Lanchonete e gostaria e algumas informações tambèm a respeito de faturamento + despesas fixas + salário, vc pode me ajudar ???

      • docarmocosta dezembro 5, 2011 at 8:17 pm #

        Olá, obrigado pela visita. Já tentou acessar o site do Sebrae? Eles tem uma biblioteca disponibilizada com vários assuntos pertinentes e você pode baixar os guias. Vale a pena conferir. Abraço!

  2. Jamir junho 2, 2012 at 1:13 am #

    Muito bom o texto acima. me esclareceu várias dúvidas.obrigado

  3. Tharles Fernandes abril 19, 2013 at 1:21 am #

    Otima explicação, fico feliz com a seriedade das postagens. Parabéns e muito obrigado

  4. lindomar silvera de sousa abril 27, 2013 at 1:57 pm #

    Linda,É muito bom tirei minhas dúvidas quanto ao assunto na faculdade.Muito obrigada.Tchau

  5. Cacilda Luna maio 23, 2013 at 8:17 pm #

    Como determinar o ponto de equilibrio de uma empresa que produz vários produtos, os quais tem margens de contribuição diferente.

    • docarmocosta maio 24, 2013 at 11:25 am #

      Bom dia Cacilda, bem-vinda ao nosso espaço!

      O cálculo será o mesmo para cada produto ou produtos afins. Mesmo tendo vários produtos, o seu PE será “X”. Os cálculos isolados lhe darão o valor/percentual com o qual determinado produto contribui para fechar o seu “X”. Espero ter ajudado!

  6. Nathaly outubro 31, 2013 at 7:52 pm #

    ÓTIMA EXPLICAÇÃO, ME FOI MUITO ÚTIL, OBRIGADA

  7. JULIA janeiro 29, 2014 at 9:43 pm #

    QUANDO MINHA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO É NEGATIVA, O VALOR FICA EXORBITANTE. É ISSO MESMO?

    • docarmocosta janeiro 29, 2014 at 10:09 pm #

      Ah, sim… Por isso é necessário achar o Ponto de Equilíbrio, bater no 0x0 para depois começar a ter lucro… Espero ter ajudado…

  8. joão denilson fabricio junho 10, 2014 at 4:43 pm #

    parabéns pela explicação. mioto boa. boa mesmo

  9. Lucia Coutinho agosto 14, 2014 at 12:51 pm #

    Perfeito suas explicações!! Consegui compreender!! Muito Obrigada!!!

    • docarmocosta agosto 14, 2014 at 3:30 pm #

      Que bom

Trackbacks/Pingbacks

  1. Ponto de equilibrio = zero a zero « docarmocosta.wordpress.com - novembro 23, 2009

    [...] no blog você poderá encontrar mais sobre Ponto de Equilibrio no post “Margem de Contribuição e Ponto de Equilibrio”, um dos mais acessados do [...]

  2. Os números de 2010 « docarmocosta.wordpress.com - janeiro 2, 2011

    [...] Margem de Contribuição e o Ponto de Equilíbrio março, 2008 2 comentários 3 [...]

  3. Porcentagem sem mistério « docarmocosta.wordpress.com - outubro 5, 2012

    [...] Fácil, não é? Não? Veja aqui mesmo no blog mais sobre isso clicando aqui [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 325 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: